domingo, 24 de julho de 2016

Capítulo 25

Orman, Malcolm, Gundar e Horace sentaram ao redor da mesa na casa de campo de Malcolm. Will estava em pé, andando no pequeno quarto enquanto explicava a sua ideia.
— Horace disse-nos que precisamos de cerca de cem homens para atacar o castelo, uma força três vezes maior do que os defensores.
Os outros concordaram. Era lógico.
— A ideia é, nós poderíamos entrar no castelo com trinta homens, se tivéssemos mais noventa para enganar os defensores do nosso ponto de ataque real. Isso está certo? — Ele endereçou a questão para Horace.
O guerreiro assentiu.
— É bastante perto do ideal — disse ele.
— Assim, com trinta homens, podemos ir com o ataque real? — Will insistiu.
Os outros três homens assistiram o intercâmbio com diferentes graus de compreensão. Era uma questão bem fora da área da experiência de Malcolm. Orman era vagamente familiarizado com os problemas teóricos de situar um castelo. Gundar estava fascinado em saber como uma força de trinta homens, a tripulação do Wolfcloud, por exemplo, poderia forçar seu caminho em um castelo fortificado. Isso poderia revelar-se um conhecimento muito rentável no futuro.
— Sim — respondeu pacientemente Horace. — Mas ainda precisamos dos outros noventa homens para fazer o desvio. E nós não os temos — acrescentou ele, espalhando suas mãos e olhando sarcasticamente ao redor da sala como se noventa homens pudessem estar escondidos em algum lugar.
— Talvez nós não precisássemos deles — disse Will. — Talvez a gente só precise de um.
Gundar aspirada com risos.
— É melhor ele ser um inferno de um guerreiro!
Will sorriu para o capitão escandinavo.
— Ah, ele é. Ele é um homem gigante. Quando o vi, ele tinha mais de dez metros de altura — disse ele suavemente.
O entendimento apareceu no rosto de Malcolm, embora os outros três permanecessem confusos.
— Você quer dizer o Guerreiro da Noite? — Malcolm perguntou.
Will assentiu e virou-se para Horace, que olhava pensativo agora que pegara a ideia.
— Isso vai significar um ataque noturno, mas presumo que não há grande problema nisso? — Will continuou.
Horace encolheu os ombros. Ele ainda estava considerando o que Will tinha dito. Se o Guerreiro da Noite aparecesse no céu fora no Castelo Macindaw, ilusão ou não, ele poderia fornecer o tipo de distração que eles precisavam.
Orman esfregou o queixo, pensativo. Ele tinha ouvido falar do Guerreiro da Noite, é claro, mas ele nunca tinha visto isso.
— Quão grande é ele exatamente? — Orman perguntou.
— Ele é enorme — Malcolm respondeu. — Como diz Will, ele pode ir até dez metros de altura, dependendo da distância que tenho que jogar a imagem. Quanto mais longe eu projetá-lo, maior ele será. Mas por que parar no Guerreiro da Noite? Eu poderia jogar em algumas outras formas também. O rosto de Serthrek’nish, para começar. E um dragão estranho ou um ogro, suponho.
Orman olhou ao redor da mesa.
— Eu pareço ter perdido alguma coisa. Quem ou o que é Serthrek’nish?
— Ele é o demônio scotti que usamos para aterrorizar MacHaddish — Malcolm explicou.
Orman parecia menos convencido.
— Ele pode ter trabalhado contra MacHaddish — disse ele. — Mas Macindaw é ocupado por Araluenses. Eles não sabem se Serker... Serkrenit... Seja ele quem for... é uma taça de pudim preto.
Horace sorriu agora.
— Não se preocupe. Você não tem que saber o nome para ser aterrorizado por ele. Ele é uma visão verdadeiramente horrível, surgindo da névoa como faz.
— Essa é a única desvantagem para a ideia — disse Malcolm agora, seu rosto pensativo. — Eu preciso de nevoeiro ou alguma forma de névoa para o projeto. Foi por isso que escolhi a clareira na outra noite. Um pequeno riacho atravessa o lado norte, e criou a névoa que precisávamos. A mesma coisa com o pântano negro — acrescentou.
Will sentiu sua ideia desmoronar como um castelo de cartas. Ele estava tão envolvido nela que não tinha visto a falha básica. Sem névoa, sem imagem projetada. Nenhuma imagem, nenhuma distração.
Malcolm viu a decepção em seu rosto e sorriu encorajador.
— Não é um grande problema — disse ele. — Nós apenas temos que colocar alguns tubos perfurados no ponto onde queremos a névoa. Então bombeamos água através dos tubos, juntamente com um produto químico ou dois para ajudar o processo, e a névoa se levantará das perfurações, enquanto o tempo estiver frio o suficiente.
A esperança de Will disparou. Sua ideia estava de volta aos trilhos.
— Quão rápido poderíamos colocar a tubulação no lugar? — Perguntou ele.
Malcolm mordeu os lábios, pensativo.
— Talvez duas noites — ele disse eventualmente. — Nós vamos ter de trabalhar após o anoitecer, e não podemos ter muitas pessoas envolvidas ou vamos ser vistos. A última coisa que queremos é seu amigo Buttle enviando um grupo para investigar o que estamos fazendo.
Gundar rosnou suavemente à menção do nome do Buttle. Will olhou de soslaio para ele. O escandinavo enorme lembrava um urso grande, poderoso e aparentemente desajeitado, mas, na realidade, rápido e mortal. Então, pensou ele, sorrindo, muitos escandinavos poderiam ser descritos dessa maneira. Eles eram uma raça muito parecida com ursos. Pensou que não gostaria de entrar no caminho de Gundar quando chegasse a hora de subir as escadas de escalar.
Quando esse pensamento o atingiu, ele percebeu que era outro item que teria que tomar cuidado.
— Vamos precisar de escadas — disse ele. — Podemos ter seu pessoal a construí-las? — Ele abordou a observação para Malcolm, que assentiu. Então ele se virou para Gundar. — Seus homens também, Gundar.
— Vou levá-los amanhã — disse o escandinavo. — Quantos precisamos?
Horace e Will trocaram um olhar.
— Você tinha uma ideia sobre o uso de apenas uma? — Horace lembrou a ele.
Mas Will balançou a cabeça.
— Eu ainda estou trabalhando nisso. É melhor ter cópias de segurança. Quantas você diria?
O jovem cavaleiro mastigou uma unha conforme ele pensava sobre isso. Quanto mais, melhor, ele sabia. Quanto mais escadas houvesse, mais rapidamente seus homens poderiam estar nas muralhas e no ataque. Mas havia limitações.
— Nós teremos que atravessá-las através desse emaranhado de floresta no lado oeste — disse ele. — Isso vai levar muito tempo e esforço. Eu diria que o máximo que nós poderíamos segurar seriam quatro. Isso faz que seja cerca de sete homens para uma escada.
Will olhava para Malcolm e Gundar, ambos de acordo com a cabeça.
— Serão quatro, então — disse. — Eu duvido que teremos tempo para fazer mais mesmo. E como você diz, vai ser um pesadelo conseguir mover uma escada de cinco metros por aquela floresta.
Ele abordou Malcolm novamente.
— Você sabe, também me ocorreu que poderíamos ser capazes de usar algo parecido com aquele rosto iluminado que você fez através da clareira na outra noite.
Ele colocou isso como uma questão, mas Malcolm já estava balançando a cabeça.
— Precisaríamos de fios e cabos aéreos para isso. Dificilmente poderíamos montar tais equipamentos no campo aberto perto de Macindaw sem sermos vistos.
— E se você for visto, a guarnição descobrirá que tudo é algum tipo de truque — Orman acrescentou — então seu plano desmorona todo.
Will assentiu com a cabeça, reconhecendo o ponto.
— Eu posso ver isso — disse ele. — Mas pensei que poderia haver alguma forma de jogá-los no ar, então tê-los explodindo na maneira que um aconteceu na outra noite. Isso foi muito espetacular, acredite em mim.
— Deixe-me pensar sobre isso — disse Malcolm. — Eu provavelmente posso montar uma espécie simples de catapulta para jogá-los. Nós poderíamos colocá-las na mata depois de tudo. Não há nenhuma razão para que isso não pudesse ser feito de uma posição escondida.
— Exatamente — disse Will, seu entusiasmo crescendo a cada segundo. — Quanto mais distrações temos, melhor. E algo voando, brilhante, cabeças explodindo seria uma grande distração.
Ele olhou em volta os rostos na mesa, vendo o entusiasmo e esperança em todos eles.
— Bem — disse ele — é tarde e eu ainda tenho que enviar uma mensagem para Alyss. Sugiro interromper isso agora e começarmos a trabalhar na parte da manhã. Temos muito a fazer.
Houve um murmúrio de concordância dos demais, e todos eles se levantaram. Orman ainda estava se sentindo deixado de fora do quadro completo.
— Voando, cabeças explodindo — murmurou para si mesmo. — Estes arqueiros são realmente peculiares.

Nenhum comentário:

Postar um comentário