quarta-feira, 29 de junho de 2016

Capítulo 29

Todos viram a culpa de Slagor em sua expressão surpresa quando Halt mencionou o nome da ilha. Slagor recuperou-se rapidamente, mas o momento tinha sido testemunhado.
 Eu não estou aqui para responder a você, arqueiro! — Vociferou furioso. — Você não tem autoridade neste Conselho!
Erak deu um passo à frente, balançando em seus calcanhares, seu rosto a centímetros de Slagor.
 Mas eu tenho — disse o outro homem. — E eu gostaria de ouvir a sua resposta.
 Que história é essa, Erak? — Ragnak interrompeu antes que Slagor pudesse responder. Erak manteve seu olhar fixo em Slagor.
 Dois dos navios de Slagor estão atualmente na ilha de Fallkork — respondeu. — Amanhã, ele planeja encontrar com eles e navegar pela costa da baía de Sand Creek.
Erak viu a cor do rosto de Slagor drenar quando ele percebeu que seu plano tinha sido descoberto. Ele continuou inexoravelmente, elevando a voz em volume quando Slagor tentou falar.
— Lá, ele pretende embarcar cento e cinquenta guerreiros Temujai e trazê-los para trás de nossas linhas para nos atacar por trás.
A sala explodiu quando as pessoas começaram a gritar de uma vez. Em vão abuso, Slagor cuspiu em Erak e protestou a sua inocência. Seus seguidores no corredor, e havia mais do que alguns, gritaram em protesto, enquanto aqueles que favoreceram Erak rugiram de volta, pedindo a cabeça de Slagor. A confusão continuou durante um minuto inteiro até Ragnak se levantar do assento.
 Silêncio! — Ele gritou.
No silêncio que se seguiu, você poderia quase ouvir um alfinete cair.
 Como você sabe disso? — O Oberjarl perguntou.
Ele não gostava Slagor. Muitos dos escandinavos também. Mas o conceito de traição, era tão absolutamente abominável ao simples código de conduta Escandinavo que Ragnak achou impossível acreditar que qualquer um, mesmo Slagor fosse capaz de cometer.
 Seus planos foram ouvidos, Ragnak — Erak disse. Instantaneamente Slagor estava gritando a sua inocência.
 Isso é mentira! É um monte de mentiras imundas! Quem me ouviu? Quem diz que eu sou um traidor? Mostre-me agora!
 Por uma questão de fato, Ragnak — disse Halt, levantando a sua voz de modo que ele foi ouvido claramente, em cada canto da sala — o informante está aqui conosco.
Essa notícia acalmou os protestos de Slagor imediatamente. Ragnak olhou o arqueiro com desgosto. Desde que ele chegou a Hallasholm, as confortáveis ordens das coisas haviam sido continuamente perturbadas.
 Então, vamos ouvi-lo — disse o Oberjarl.
 Não ele, Ragnak. Ela. O informante é Evanlyn. Talvez por isso Slagor esteja tão interessado em tê-la desacreditada e morta.
O tumulto mais uma vez encheu a sala e Will percebeu quão inteligente Halt tinha jogado. Na confusão do momento, ninguém fez a pergunta óbvia: como poderia Slagor ter sabido que Evanlyn havia descoberto seu plano? Porque, se ele não sabia, não teria nenhuma razão para tentar desacreditar a menina. Mas agora que Halt tinha plantado a semente, os escandinavos todos acreditaram que as ações de Slagor foram destinadas a prevenir Evanlyn, ao invés do contrário. A essa luz, sua acusação não pode ser posta de lado. Tinha que ser investigado.
 Prove! — Slagor estava gritando agora, e alguns de seus seguidores, percebendo que seus próprios pescoços estavam perto de serem cortadas, gritavam também. — Qualquer um pode acusar-me! Mas onde está a prova?
Ragnak silenciou a gritaria com um gesto.
 Bem, arqueiro — ele perguntou a Halt — você pode nos oferecer uma prova dessas acusações?
Erak apressadamente entrou na discussão antes de Halt responder.
— Svengal está trazendo os dois navios de Fallkork — disse ele. — Ele deve estar no porto de amanhã.
Mas agora Slagor viu o caminho para sair, viu que não havia provas concretas do plano.
 Então, dois dos meus navios aguardam em Fallkork? — Ele gritou, sua voz estridente, mais uma vez. — O que isso prova? Como isso faz de mim um traidor? Não é, Erak?
Alguns daqueles no salão começaram a ecoar o seu pensamento e não apenas seus próprios seguidores. Como Halt tinha apontado anteriormente, a mera presença de navios no encontro, não indicava provas da traição de Slagor. Encorajado agora, Slagor pisou em direção à multidão.
 Eles me acusam de traição! Eles difamam-me! Levam a palavra de um inimigo deste país, o inimigo de nosso Oberjarl! No entanto não provar as suas alegações vis! Que justiça escandinava é esta? Deixe-os encontrar uma maneira de provar isso, eu digo.
Um coro crescente de vozes concordaram com ele. Então, como se ele estivesse conduzindo um coro, Slagor sinalizou para o silêncio e voltou-se para Halt.
— Você pode, arqueiro? — Disse ele, cuspindo a última palavra, como se fosse um insulto. — Você pode mostrar algum tipo de prova?
Halt hesitou, sabendo que tinha perdido o impulso e o sentimento da multidão. Sabendo que tinha perdido. Will avançou para ficar ao lado de seu mentor e amigo.
 Há um caminho — disse ele.
Demorou muito para calar uma multidão barulhenta de escandinavos, mas a declaração de Will conseguiu fazer o truque. As vozes desapareceram como se cortado com uma faca e todos os olhos voltaram para a pequena figura, estando agora entre Halt e Erak. Como Will poderia ter adivinhado, foi Ragnak mesmo quem quebrou o silêncio.
 Como? — Disse ele simplesmente.
 Bem, os navios de Slagor, nesta ilha, considerados por si só, podem não provar a sua intenção de nos vender aos Temujai — disse Will com cuidado, pensando nas suas palavras antes de falar em voz alta, sabendo que toda a sua segurança dependia da forma como ele expressasse a sua ideia. Ele viu Ragnak tirar fôlego para falar e apressou-se antes do Oberjarl poder interrompê-lo. — Mas... Se Erak fosse até Sand Creek Bay, e se acontecesse de encontrar, digamos, cento e cinquenta guerreiros Temujai lá esperando para embarcar, é uma indicação concreta de que alguém está planejando te trair, não é?
Houve um murmúrio de concordância entre a multidão reunida. Ragnak franziu a testa enquanto pensava na ideia. Ao lado de Will, Erak murmurou:
 Bem pensado, rapaz.
 É verdade — Ragnak disse finalmente. — Isso mostra que há traição planejada. Mas quem pode dizer que Slagor está envolvido?
Will mordeu o lábio enquanto pensava sobre isso. Mas agora Halt falou.
 Oberjarl, há uma maneira simples de descobrir. Vamos levar não um navio, mas três. Afinal, esse é o número que os Temujai estão esperando para ver. Então, ele pode falar com o líder do Temujai que pode acontecer de estar lá e dizer-lhes que Slagor foi detido e lhe enviou em seu lugar. Se o líder Temujai responder com palavras parecidas com Quem diabo é Slagor?, então o nosso amigo aqui é tão inocente como ele afirma ser.
Ele parou e percebeu que Ragnak estava concordando enquanto considerava a ideia. Em seguida, ele acrescentou, mais deliberadamente:
— Por outro lado... Se o nome Slagor parecer familiar para o inimigo, então há todas as provas que você precisa.
 Isso é ridículo! — Slagor explodiu. — Eu te juro, oberjarl, que não sou um traidor da Escandinávia! Esta é uma cilada armada por estes araluenses. — Ele fez um gesto de desprezo a Halt e Will. — E de alguma maneira eles parecem ter enganado Erak também.
 Se você é inocente — disse Ragnak fortemente — então não tem nada a temer de tudo isso, não é?
Ele olhava fixamente para Slagor agora, observando o brilho de suor na testa do outro, observando o tom estridente que permeou todas as suas declarações agora. Slagor estava com medo, pensou. Quanto mais ele viu, mais estava preparado para acreditar que o homem era um traidor.
 Eu não vejo nenhuma razão pela qual... — Slagor começou, mas Ragnak o interrompeu com um gesto.
 Eu concordo! — Ele agarrou. — Erak, tome três navios para Sand Creek Bay imediatamente e faça como o arqueiro sugere. Uma vez que você estabeleça ou não se Slagor está envolvido nesta trama, volte aqui e relate. Quanto a você... — Ele virou-se para Slagor, que estava começando a ir em direção à porta lateral da sala. — Não tente ir a qualquer lugar. Quero onde eu possa vê-lo até a volta de Erak. Ulfak, vigie-o! — Ele abordou este último comentário a um de seus outros jarls sêniores, que acenou com a cabeça e se mudou para ficar ao lado de Slagor, colocando a mão em seu braço.
 Uma coisa, Oberjarl — disse Erak, e o líder Escandinavo virou para ele novamente. — Quando eu tiver estabelecido que Slagor está envolvido, está tudo certo, se eu reduzir o número Temujai um pouco? Isso vai diminuir um pouco que teremos de lutar aqui, pelo menos.
 Boa ideia — disse Ragnak. — Mas não corra riscos. Eu preciso saber a identidade do traidor e você não pode me dizer se o Temujai estiver morto.
 Por que não ir adiante com o plano que está esperando? — Disse Will, antes que ele pudesse parar. O líder Escandinavo considerou como se ele estivesse louco.
 Você está louco? — disse. — Você está sugerindo que Erak realmente traga os Temujai de volta aqui como prisioneiros? Teríamos de subjugá-los e preservá-los e isso levaria os homens longe de nossa própria linha de batalha.
 Não que volte aqui — Will disse, virando-se para apelar a Erak. — Mas você não poderia encontrar algum pretexto para fazê-los sair dos navios nesta Ilha Fallkork, em seguida, deixá-los lá?
Novamente um silêncio, quebrado desta vez por uma risada, profundamente gutural de Erak.
— Oh, a ideia de prêmio! — Disse ele, sorrindo carinhosamente à Will. — Se tomarmos esses cavaleiros... através dos estreitos de Vulture, tenho certeza que podemos ter-lhes implorando para chegar em terra por algumas horas. Os mares são terríveis nesta época do ano para fazer qualquer velejador inexperiente enjoar!
Ragnak esfregou o queixo, pensativo.
 Suponho que os Temujai não estejam habituados a velejar? — Perguntou ele a Halt.
O arqueiro acenou.
 Totalmente, oberjarl.
Ragnak olhou de Halt ao seu jovem aprendiz.
 Este menino mostra um certo talento para o tipo de pensamento tortuoso que esperamos de vocês arqueiros.
Halt caiu levemente uma mão no ombro de Will, e disse, com um rosto completamente sério.
 Estamos muito orgulhosos dele, Oberjarl. Achamos que ele vai longe.
Ragnak balançou a cabeça, cansado. Esse tipo de enredo e contra plano foi além dele. Ele acenou uma mão a despedir de Erak.
 Pegue os navios e vá embora — disse. — Depois de despejar esses Temujai na Ilha de Fallkork, volte aqui.
O assunto foi feito na medida em que ele estava preocupado, mas Slagor tinha uma objeção, última e desesperada.
 Oberjarl! Estas são as pessoas que me acusam! Estão todos no mesmo barco! Você não pode enviá-las para verificar as suas próprias acusações!
Ragnak hesitou.
 O ponto é justo. — Virou-se para seu hilfmann. — Borsa, você vai com eles como um testemunho independente. — Então, voltando o olhar para Slagor, ele concluiu — Quanto a você, é melhor esperar que não haja Temujai em Sand Creek Bay.

Nenhum comentário:

Postar um comentário