quarta-feira, 4 de maio de 2016

Capítulo 24

— BOM DIA, MAJESTADE — Lady Brice cumprimentou-me enquanto eu caminhava para o escritório.
Normalmente, eu era capaz de dormir mais nos domingos, mas não havia nenhuma maneira de eu passar o meu primeiro dia como rainha na cama, especialmente depois da maneira como as coisas terminaram ontem à noite.
Eu suspirei, tanto cansada quanto emocionada.
— Eu ouvi isso um milhão de vezes ontem, mas ainda me sinto estranha respondendo a esse título.
— A senhorita terá décadas para se acostumar com ele — ela respondeu com um sorriso.
— Falando nisso, eu preciso falar com você sobre a Seleção, e meu reinado, e uma complicação inesperada.
— Complicação?
— Pode me dizer uma coisa? Quão grande é a popularidade de Marid?
Lady Brice assobiou.
— Ele fez um grande nome para si ao longo dos últimos anos. Está frequentemente sendo entrevistado no rádio, e é tão bonito e vem de uma família tão bem conhecida que acaba em vários suportes da imprensa escrita também. Muitas pessoas ouvem quando ele fala. Sorte que ele tenha decidido aparecer agora, não é?
Antes que eu pudesse explicar o que aconteceu na noite anterior, ouvi a porta sendo aberta atrás de mim e Josie irrompendo na sala.
— Ei! Espero que eu não esteja atrasada! — exclamou ela.
Fechei os olhos em frustração. Esqueci completamente que ela deveria começar a me acompanhar hoje.
— Posso ajudá-la? — perguntou Lady Brice.
— Oh, eu estou aqui para ajudá-la — ela anunciou. — Estou seguindo Eadlyn de perto hoje. Talvez não só hoje, se tudo correr bem.
— Madame Marlee sugeriu isso durante a sessão de fotos de família ontem — expliquei rapidamente.
Lady Brice balançou a cabeça, e foi nesse momento que Neena entrou no escritório também.
Embora eu não tivesse certeza do quão confortável eu ficaria compartilhando tudo na frente de Josie, parecia que eu não tinha escolha.
— Ok — comecei lentamente — nós temos um problema. E o nome dele é Marid Illéa.
— Sério? — perguntou Neena. — Ele parecia útil até agora.
— Sim, era assim que ele queria parecer. Mas, na verdade, seu objetivo sempre foi o de tomar a coroa. — Eu engoli, sentindo-me estúpida mais uma vez. — Na noite passada, falei para ele parar de encorajar a imprensa a pensar que éramos mais do que amigos, e ele deixou claro que estava planejando perseguir esse ângulo até que o público exija que eu me case com ele.
Lady Brice colocou a cabeça entre as mãos.
— Eu sabia que ele poderia arruinar essa coisa toda. Eu sabia. Nós deveríamos ter esmagado os rumores.
Eu balancei minha cabeça.
— Não é culpa sua. Você me deu a oportunidade logo no início, e eu não a peguei. Nunca pensei que ele tentaria entrar no palácio como um verme para se tornar um elemento permanente.
— É tão sorrateiro — Lady Brice disse, cerrando os punhos. — Os pais dele atiraram pedras e invadiram o palácio. Tudo o que ele teve que fazer foram alguns discursos adequadamente cronometrados, e ele não parece remotamente agressivo.
— Exatamente. E eu estou... estou com medo. Se ele fizer as pessoas acreditarem que ele deve ser meu príncipe consorte, elas virão atrás da monarquia. Elas estiveram à beira da revolta por um tempo, e agora que sou rainha, não há nada para parar as pessoas que resistiram por causa do meu pai. Mas se nós admitirmos, e ele vier para cá... ele poderia mentir facilmente apenas para chegar perto de mim...
— O que ele faria quando visse que não precisa mais da senhorita? — Lady Brice perguntou sombriamente.
Eu já tinha imaginado uma dúzia de cenários diferentes. Ele diria eu escorreguei escada abaixo, ou caí no sono no banho, ou que os genes Singer tinham chegado ao meu coração também. Eu não queria pensar em Marid como puramente mau, mas entendi que ele estava querendo o poder e não tinha respeito por mim.
Era possível que eu estivesse sendo paranoica, eu sabia disso. Mas, depois de ter perdido tantas coisas nos últimos meses, as coisas para as quais deveria ter me forçado a ter cuidado, para falar, para fazer alguma coisa, agora não era o momento de ser positiva.
— Então nós temos que silenciá-lo. O que vamos fazer? — perguntou Neena.
— Por que você precisa fazer alguma coisa? — perguntou Josie. Todas nós a encaramos, e seu sorriso desapareceu sob o peso dos nossos olhares. — Quero dizer, você é a rainha. Poderia simplesmente matá-lo se quisesse. Se ele for um traidor, certo?
— Se ele agir como um traidor, sim. Mas se eu decidir enforcá-lo enquanto ele aparenta estar apaixonado por mim, como é que isso me faz parecer?
Ela apertou os olhos, compreendendo.
— Horrível.
— Pior do que horrível. E a minha aprovação está por um fio. Eu não posso matá-lo. Nem sequer posso dizer publicamente que não tenho interesse nele agora, não sem esperar uma reação.
— Então o quê? — perguntou Lady Brice.
— Isso não pode sair dessa sala. Será que todo mundo entende? — olhei para Josie, esperando que ela entendesse a importância do sigilo. — Primeiro, vamos ignorar Marid. Ele não pode vir ao palácio, e se ligar, ninguém fala com ele. Ele está completamente longe da minha presença daqui em diante. Não podemos dar mais a imprensa tanto quanto não podemos tirar o que eles já têm.
— Concordo — Lady Brice afirmou.
— Em segundo lugar, tenho mapeado como as próximas semanas vão ocorrer na Seleção. Ean irá para casa esta manhã. Nós nos falamos na noite passada, e ele está pronto para ir. No início da próxima semana, Hale sairá também.
Neena fez uma careta.
— Estou triste de ver Hale ir.
— Eu também. Mas este foi um acordo mútuo, por isso eu lhe garanto que não há ressentimentos de nenhum dos lados.
— Isso deixa tudo mais fácil — admitiu ela. — Mas espere. Não se deveria supor que escolhendo assim, a senhorita chegaria aos três finalistas dentro de 4 dias?
— Sim. A única maneira de vencer Marid em seu jogo é escolher um marido tão rapidamente quanto possível. E, independentemente do quão apaixonado ele esteja, parecerá tão bom quanto o que os meus pais têm. Melhor, se é que nós podemos dizer isso. — Eu respirei fundo. — Portanto, uma vez que Hale se for, vamos esperar alguns dias e, em seguida, eliminar Fox. Ele é legal, mas não temos uma conexão real. O que vai deixar Kile e Henri como os dois finalistas, e eu pretendo fazer uma transmissão ao vivo em cerca de duas semanas para anunciar o meu noivado.
— Duas semanas! — Neena engasgou. — Eadlyn!
— Vou precisar de ajuda com isso — continuei. — Verifiquei alguns números das pesquisas recentes, e Hale e Kile foram os principais candidatos. Cuidar para me certificar de que a partida de Hale seja vista como necessária para que as pessoas fiquem satisfeitas com ela, mas precisamos de algo sensacional sobre Henri. Como que ele cozinha para as pessoas em lares de idosos ou que sua família é descendente da nobreza da Noruécia. Mesmo se vocês tiverem que desenvolver a verdade, façam isso. Devemos levá-lo para os finalistas com a aprovação de todos.
Ninguém falou por um momento.
— Você ama mesmo Kile? — perguntou Josie. Pela primeira vez, seu rosto tinha perdido o olhar ridiculamente inexpressivo, e vi a profunda e verdadeira preocupação em seus olhos.
Pensei em Erik. Dele me prometendo que valeu a pena. De como ele me tratou desde o início. De como tinha me beijado. De como ele iria embora em breve.
— Eu ficaria feliz com Kile.
Certamente líderes já tinham feito sacrifícios muito maiores, mas Lady Brice, Neena e Josie pareciam me encarar como se eu estivesse marchando para a morte.
— Vocês vão me ajudar ou não? — exigi.
— Verei o que posso descobrir sobre Henri — disse Lady Brice. — Prefiro começar com a verdade absoluta em primeiro lugar.
— Como sempre. E eu me sinto confiante de que você será capaz de encontrar algo para ele. Ele é tão querido.
— Ele é — Neena concordou. — Como Kile também. Você poderia fazer muito pior.
Sim, pensei. Mas eu também poderia fazer muito melhor.
— Faça o que precisar fazer para começar a pôr tudo isso no lugar. Passarei o resto do dia trabalhando do meu quarto. Josie? — Ela estalou com atenção. — Você vai voltar amanhã, ou foi o suficiente para você?
— Foi mais do que suficiente — disse ela, engolindo em seco.
— Nem uma palavra, entendeu?
Ela assentiu, mas eu mal consegui olhar para ela. Ela parecia tão triste por mim, e de todas as pessoas, eu não podia suportá-la sendo compreensiva. Mas quando olhei para Neena e Lady Brice, suas expressões eram igualmente ruins.
Eu me levantei tão ereta quanto podia e saí do escritório, lembrando que, não importa o que tivesse acontecido, eu ainda era rainha.

Nenhum comentário:

Postar um comentário