quarta-feira, 4 de maio de 2016

Capítulo 12

O PRIMEIRO MOMENTO livre que tive naquele dia foi o almoço, e eu sabia que precisava usar o tempo para me concentrar no controle de danos. Enquanto todos dirigiram-se à sala de jantar após nossa aula de finlandês, voltei para o meu escritório e puxei o cartão de Marid da gaveta da minha escrivaninha. Era claramente feito de papel caro. Fiquei imaginando o que sua família fazia agora para ele se dar a esse luxo. Devia ter dado tudo certo para eles, onde quer que eles tivessem ido.
Disquei o número, com a esperança de que ele não atendesse.
— Alô?
— Sim, hum, Marid?
— Eadlyn, é você?
— Sim — eu me mexia, endireitando as minhas roupas, mesmo ele não podendo me ver. — Este é um bom momento?
— Absolutamente. Como posso ajudá-la, Alteza?
— Eu só queria dizer que vi algumas especulações sobre a nossa relação na imprensa outro dia.
— Oh sim. Me desculpe por isso. Você sabe como eles podem tirar uma coisa fora do contexto.
— Eu sei — quase exclamei. — E, na verdade, eu queria lhe pedir desculpas. Sei que reviravolta pode haver quando a vida de alguém é juntada à minha, e sinto muito que esteja passando por isso.
— Eh, deixe-os falar — ele respondeu com uma risada. — Realmente, não é necessário se desculpar. Mas, já que estou falando com a senhorita, eu queria lhe dar uma ideia.
— Certo.
— Sei que esteve preocupada com a violência pós-castas, e pensei que poderia ser bom para a senhorita ter algo como uma assembleia comunitária.
— O que você quer dizer?
— A senhorita poderia escolher um punhado de pessoas de várias origens para vir ao palácio e sentar-se com você pessoalmente. Seria uma oportunidade única de ouvir de seu povo, e se convidar a imprensa, também pode ser uma oportunidade espetacular para mostrar quão bem o palácio escuta seu povo.
Eu estava atordoada.
— Na verdade, esta é uma ideia maravilhosa.
— Se quiser, posso cuidar da maior parte dos preparativos para você. Tenho algumas ligações com algumas famílias que costumavam ser Oito, bem como alguns que tiveram momentos difíceis deixando seu status de Dois. Talvez pudéssemos planejar e convidar uma dúzia de pessoas. Assim a senhorita não ficaria sobrecarregada.
— Marid, isso soa perfeito. Pedirei que minha secretária ligue para você. O nome dela é Neena Hallensway, e ela é tão organizada quanto você parece ser. Ela sabe minha agenda e seria a melhor pessoa para acertar sobre o horário e a data.
— Excelente. Esperarei para falar com ela.
Houve um longo silêncio, e eu não tinha certeza de como terminar a ligação.
— Obrigada — experimentei. — Agora, mais do que nunca, eu realmente preciso provar o quanto me preocupo com meu povo. Quero que eles saibam que, em poucos anos, serei tão capaz de conduzi-los como o meu pai.
— Como alguém pode duvidar disso é um mistério para mim.
Eu sorri, emocionada por ter adicionado outro aliado ao meu arsenal.
— Desculpe a pressa, mas preciso ir.
— Sem problemas. Nos falaremos novamente em breve.
— É claro. Tchau.
— Tchau.
Desliguei o telefone e suspirei de alívio. Não foi tão estranho quanto temi que seria. As palavras de Marid ecoaram em meus ouvidos. Deixe-os falar. Eu sabia que eles sempre fariam isso. Só esperava que em breve, eles tivessem algo positivo para dizer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário