quarta-feira, 4 de maio de 2016

Capítulo 10

O VESTIDO ERA VERMELHO. Mamãe não o usava fazia anos, uma das razões pelas quais o escolhi.
Hale diminuíra as mangas compridas de renda até os cotovelos e retirou algumas das camadas de baixo do vestido, por isso não ficou tão cheio. Ele estava certo sobre algumas mudanças serem irreversíveis, mas fez com tanto bom gosto que, mesmo que a minha mãe, eventualmente, quisesse de volta, provavelmente ficaria feliz com as alterações.
Eloise me ajudou a fazer o cabelo, e o penteado parecia bastante intelectual, com tranças levando a um coque modesto. Escolhi uma tiara com rubis, e por fim parecia que eu estava em chamas.
Ficou lindo, realmente. Eu sabia disso, e estava grata a todos que tinham me feito parecer com alguém em quem poderiam ser confiadas as decisões que precisavam ser tomadas em nome do país.
Só me senti velha, mais velha do que eu realmente era, embora talvez mais perto da idade com a qual devesse me comportar. Suspirando, fiquei de acordo com o vestido. Esta era quem eu tinha que ser agora.
Eu estava puxando as costuras no estúdio quando Josie veio falar comigo.
— Esse vestido é incrível — ela elogiou, incapaz de manter os dedos fora das camadas de cetim.
Eu continuei me arrumando.
— É da minha mãe.
— Sinto muito por tudo isso, a propósito — ela falou razoavelmente. — Acho que não disse isso a você ainda.
Engoli em seco.
— Obrigada, Josie. Isso significa muito.
— Você sabe, já que tudo tem sido tão sério, poderia ser uma boa ideia ter uma festa.
Deixei escapar uma quase risada.
— Estou um pouco ocupada para isso. Talvez depois que as coisas se acalmarem.
— Eu poderia planejar! Apenas me deixe falar com algumas criadas, e nós conseguiremos algo em uma semana.
Virei-me do espelho.
— Como eu disse, talvez um dia, mas não agora.
Afastei-me, tentando me concentrar.
Ela veio atrás de mim, insistente.
— Mas por quê? Você não deveria estar comemorando? Quero dizer, você é praticamente a rainha, então...
Virei-me para ela, furiosa.
— Mas eu não sou a rainha. Esse título pertence à minha mãe, que quase morreu. Sua forma tão casual de encarar tudo tira o sentido de suas condolências. O que você não compreende, Josie? Acha que este trabalho não é nada, só vestidos e festas?
Ela ficou ali, atordoada. Vi seus olhos varrerem o estúdio, verificando, vendo se alguém assistira a nossa conversa. Eu não queria humilhá-la. De certa forma, eu a entendia. Pode ter havido um tempo em que nada me trazia mais alegria do que uma razão para começar uma lista de convidados, um momento em que eu pensava que este papel não era nada mais do que vestidos e festas...
Suspirei.
— Eu não estou tentando insultá-la. Mas não seria apropriado fazer uma festa enquanto minha mãe ainda está se recuperando. Por favor, o que preciso de você esta noite é algum nível de compreensão, o que percebo que pode ser demais, considerando nossa história. Ainda assim, pela a minha sanidade, eu imploro, apenas tente considerar como seria estar no meu lugar.
Ela ficou de mau humor.
— Isso é tudo que eu sempre quis. É claro que algo só interessa a você quando lhe é conveniente.
Eu queria arrancar-lhe a cabeça. Que parte da minha vida agora ela pensava que era conveniente? Mas eu tinha uma transmissão oficial para me preocupar.
— Com licença? — chamei uma criada que estava de passagem. — Por favor, acompanhe a Srta. Josie ao quarto dela. Sua atitude esta noite é inquietante, e preciso me concentrar.
— Sim, Sua Alteza — a criada voltou-se alegremente para Josie, nada preocupada com os nossos problemas pessoais e pronta para fazer seu trabalho.
Josie bufou.
— Eu te odeio.
Apontei para a porta.
— Sim, e você pode fazer isso do seu quarto tão bem como faz aqui.
Sem esperar para ver se ela obedecia, segui meu caminho.


Eu nunca tinha visto o cenário configurado dessa forma: a Elite de um lado e uma única cadeira do outro. Enquanto eu olhava para o assento triste e solitário, Kile aproximou-se de mim.
— O que foi aquilo com Josie?
Eu sorri e pisquei.
— Nada, querido. Apenas me fazendo ter uma séria dúvida do quanto eu a quero como parente.
— Ainda é cedo demais.
Eu ri.
— Não, nós tivemos um... desentendimento. E eu me sinto um pouco mal, porque a entendo. Eu só queria que ela pudesse me entender.
— Isso pode ser difícil para Josie. Ela só tem consciência de si própria. Por outro lado, você viu Gunner por aí?
Apertei os olhos.
— Ele foi embora esta tarde. Não deu adeus?
Kile sacudiu a cabeça.
Fui até os outros meninos, que se endireitaram quando me aproximei.
— Será que Gunner se despediu de qualquer um de vocês?
Os outros balançaram a cabeça em confusão enquanto Fox limpou a garganta.
— Ele parou para me ver. Gunner é um pouco sentimental, e não gosta de passar por longas despedidas. Apenas disse que isso não era o certo para ele e que ele teve sua aprovação para ir.
— Ele teve. Nós nos separamos em condições muito boas.
Fox concordou.
— Acho que ele pensou que perderia a sua determinação se esperasse mais. Pediu que eu dissesse a todos o quanto ele sentiria a falta de vocês. — Ele sorriu. — Realmente um cara bom.
— Ele era. Mas levem suas palavras a sério — supliquei, olhando para cada um de seus rostos. — Trata-se de seus futuros também. Não fiquem por algo que podem não ser capazes de lidar.
Kile assentiu, parecendo subitamente pensativo. Hale me deu um sorriso brilhante. Ean estava impassível como sempre, e Henri ouvia a tradução de Erik, parecendo confuso.
Certamente eu passaria o resto da minha noite analisando suas expressões, mas por agora, tínhamos um programa para começar.
— Hale — sussurrei, apontando para o vestido. — Obrigada.
— Formidável — ele murmurou. Eu sabia o que ele quis dizer e tentei parecer mais altiva. Queria fazer jus ao vestido desta noite.
As câmeras vieram, e cumprimentei o país da forma mais honesta que pude.
— Permitam-me começar com a notícia que vocês estão mais ansiosos para ouvir. Minha mãe está passando bem. Como eu disse, ela está se curando em seu quarto, com meu pai ao seu lado.
Tentei parar de pensar em como eu estava ou no que eu deveria fazer com as mãos. Em vez disso, pensei em meus pais, sem dúvida assistindo o programa de pijama com petiscos aprovados pelo médico por todos os lados. E quando imaginei isso, sorri.
— Nós todos sabemos que a história de amor deles pode ser a mais verdadeira já foi contada, embora não tenha sido uma tarefa fácil entrar no papel do meu pai.
“Meu irmão, Ahren, agora o príncipe consorte da França, é também testemunha do poder do amor mais profundo. Pelo o que entendo, ele está se estabelecendo em sua nova posição muito bem e está muito feliz com a vida de casado. — Abri um novo sorriso. — Nada disto me surpreende. Sua devoção que ultrapassa o tempo e a distância para com a princesa Camille tem sido constante e forte, e só posso imaginar a sua felicidade em estar ao lado dela a cada momento.
“Enquanto ao país em geral — Olhei para as minhas anotações, embora eu odiasse fazer isso — algumas das inquietações que temos registrado tem diminuído ao longo das últimas semanas.
De certa forma, isso era uma verdade absoluta, mas na medida em que as inquietações eram relacionadas a mim, meu nariz deveria estar crescendo enquanto eu falava.
— Tendo em conta a quantidade de trabalho que meu pai colocou na causa da paz no exterior, o pensamento de que poderíamos estar finalmente alcançando uma paz maior em casa me traz uma alegria extraordinária.
Falei sobre tudo o que deveria – a proposta de orçamento, o início do próximo projeto de perfuração, e a mudança no Conselho, o que fez algumas pessoas na sala se contorcerem – e quando tudo foi dito, procurei alguns rostos importantes na multidão. Lady Brice me deu um grande aceno de cabeça, como fez o general Leger. Vi vovó se remexendo, impaciente com os anúncios longos, e provavelmente só aguentando aquilo para que pudesse ouvir os meninos falando. E, fora do palco, Erik sorriu para mim, satisfeito.
— Sua Alteza. — Gavril curvou-se enquanto falava. — Posso dizer que, considerando as circunstâncias sob as quais tem sido impelida a esse papel, a senhorita está fazendo um trabalho fantástico.
— Obrigada, senhor. — Eu não sei quão verdadeira essa afirmação era, mas talvez com ele dizendo isso as outras pessoas acreditem.
— Devemos nos perguntar, se esteve trabalhando a tal ritmo, teve algum tempo para este grupo aqui? — ele perguntou, acenando com a cabeça na direção da Elite.
— Um pouco.
— É mesmo? Alguma coisa que poderia compartilhar conosco? — Ele balançou as sobrancelhas, e lembrei novamente das maneiras pelas quais a sua personalidade em frente às câmeras era diferente da sua personalidade fora delas. Entretenimento era o trabalho dele, e ele era ótimo no que fazia.
— Sim, mas por diversão, eu não vou darei nomes.
— Não vai usar nomes?
— Por exemplo, um membro da Elite nos deixou hoje — falei, embora eu soubesse que isso seria desvendado em segundos. — O que eu gostaria de dizer do nosso pretendente que partiu é que ele saiu como um amigo, de bom-humor.
— Ah, entendo, — disse Gavril. — Eu gosto disso! Fale um pouco mais.
— Bem, hoje um dos meus pretendentes me deu um presente feito a partir de um metal muito precioso.
— Oh! — Gavril investigou minhas mãos, procurando pelo o que todos imaginaram que seria, um anel.
Levantei os alfinetes para o mundo ver.
— Não, não foi ouro. Foi aço. Ele me deu um alfinete de costura. Mas juro, foi muito especial.
Risadas surgiram do nosso público e da Elite, e eu esperava fosse tão encantador nas câmeras como foi na minha cabeça.
— Por favor, me diga que você tem pelo menos mais um — Gavril implorou.
— Mais um então, — eu permiti. — No início desta semana, um dos pretendentes da Elite me disse que definitivamente não estava apaixonado por mim, e eu lhe respondi que me sentia da mesma maneira.
Gavril estava com os olhos arregalados.
— Este é o mesmo jovem que aconteceu de nos deixar?
— Não. E essa é a parte louca. Nós não estamos apaixonados e mesmo assim não temos nenhum desejo de estar separados. — Eu dei de ombros, brincalhona, e sorri ao ouvir os suspiros e risos ao redor da sala.
— Como tenho certeza de que uma parte significativa do nosso país está acordada até tarde esta noite, tentando adivinhar de quem a senhorita está falando, seria bom ter algo pouco mais sólido.
— Você terá que falar com os meninos sobre isso.
— Então acho que nós devemos fazer exatamente isso. Posso fazer um quiz com estes rapazes bonitos?
— Certamente — respondi com um sorriso, feliz em voltar para fora dos holofotes para ver um momento agradável.
— Tudo bem, vamos começar por este lado. Senhor Fox, como você está?
— Muito bem, senhor. Obrigado — ele sentou-se um pouco mais ereto e abriu um grande sorriso.
— As pessoas entendem que a princesa tem estado em estado de estresse e os seus dias estão repletos de tarefas, assim, o tempo à sós tem sido limitado— Gavril disse graciosamente.
— Sim, foi impressionante ver o quanto ela estava trabalhando antes, então, vê-la assumir ainda mais nestes últimos dias... é inspirador.
Eu inclinei a cabeça, sentindo-me um pouco confortável. Inspirador? Era um modo bom de pensar.
Gavril concordou com a cabeça.
— Considerando tudo isso, você poderia nos dizer algo de seu tempo com a princesa que se destacou em relação a todo o resto?
No mesmo instante, um sorriso veio ao rosto de Fox.
— Acho que o momento mais significativo da nossa relação foi após a luta, quando Burke foi para casa. Ela veio e falou comigo honestamente sobre o que esperava. Ela me ouviu, também. Acho que é um lado dela que poucas pessoas têm o privilégio de ver. Não é como se ela pudesse ir de porta em porta e dar a todos uma hora de seu tempo... mas quando ela está com você, ela é tudo que existe. Ela está realmente o ouve.
Lembrava-me daquela noite com Fox carinhosamente, mas eu não tinha percebido o quanto ela significava para ele. Ele havia considerado muito aquele momento.
Kile levantou a mão.
— Tenho que concordar com isso. Todo mundo sabe que a Ead – hã, a princesa e eu realmente só começamos a nossa amizade recentemente. E nesse tempo, senti que um monte das minhas preocupações e aspirações foram ouvidas.
— Como o quê? — Gavril cutucou.
Ele deu de ombros.
— Quero dizer, não é nada emocionante, mas tenho uma paixão pela arquitetura, e a princesa realmente se sentou e olhou para os meus esboços — ele levantou um dedo como se de repente tivesse lembrado algo. — Reconheço, nós tínhamos um pouco de vinho, e tenho certeza de que ela estava com muito tédio, mas ainda assim.
Todo mundo riu, e eu sorri para Kile. Ele fazia o ato de estar em frentes às câmeras parecer tão fácil, sempre aparecendo com coisas maravilhosas a dizer. Me senti mais segura, fiz a escolha certa lhe dizendo como me sentia.
Mudando o momento, Gavril passou Henri e foi direto para Ean. Eu odiava que Henri fosse excluído, mas parecia que Gavril tinha um plano.
— Senhor Ean, você é talvez o mais silencioso do grupo. Tem alguma coisa a acrescentar?
Sua expressão era tão fria como sempre.
— Eu sou um homem de poucas palavras — ele concordou — mas digo que a princesa é incrivelmente pensativa. Embora existam apenas cinco de nós, nenhuma das eliminações foi feita levianamente. Só por conhecer estes outros rapazes, posso ver o esforço que a princesa colocou em fazer a melhor escolha possível para si e para o seu povo. O que as câmeras não podiam capturar era o clima no Salão dos Homens quando ela teve que fazer a eliminação mais recente. Não havia uma gota de hostilidade no ar. Ela tem sido tão generosa conosco que era impossível ficar chateado. Todos os outros Selecionados que saíram aceitaram bem.
Gavril assentiu.
— Então, como acha que estão as suas chances? Você chegou ao top cinco!
Ean, como sempre, era tudo, menos discreto.
— Estou à disposição de Sua Alteza. Ela é a melhor mulher que qualquer um de nós poderia conseguir, e como tal, tem padrões incríveis. Isso não é sobre a minha avaliação das minhas chances, é sobre a sua preferência. Por isso vamos todos esperar e ver.
Eu nunca tinha ouvido Ean falar tanto de uma só vez, e me senti instantaneamente em dívida com ele. No entanto, tivemos um entendimento em nosso encontro. Foi reconhecidamente pouco romântico, e ainda assim ele viu algo bom em mim. Ou isso, ou ele era um ator incrível.
— Muito interessante. E você, senhor Hale? Pelo o que me lembro, teve o primeiro encontro com a princesa. Como está se sentindo agora?
— Sinto-me com sorte — disse ele calorosamente. — Eu cresci assistindo-a em desfiles, observando-a na televisão, e vendo rosto dela nas revistas.— Ele apontou do outro lado da sala para mim. — Ela é tão bonita que é intimidante, e tem esse olhar como se talvez pudesse queimá-lo, se sentir que deve.
Parte do que ele disse doeu, mas havia algo tão terrivelmente honesto nisso que eu não podia deixar de sorrir.
— Mas eu jantei com ela uma vez e a fiz rir tanto que ela cuspiu a bebida.
— Hale!
Ele encolheu os ombros.
— Alguém descobriria algum dia. Você poderia muito bem compartilhar!
Cobri o rosto com as mãos, querendo saber o que meus pais pensariam disso tudo.
— Meu ponto é, tudo o que temos dito sobre ela é verdade. Ela é dura, é um líder, e, sim, acho que se ela quisesse disparar fogo dos olhos, ela poderia. — A plateia riu. — Mas ela também é uma grande ouvinte, é aplicada, e sabe rir. Tipo, realmente rir. Não tenho a certeza que todos conseguirão ver isso, então eu me sinto com sorte por ser um dos veem.
Todo o bloco foi uma homenagem tão gloriosa para as minhas qualidades mais finas que quase me perguntei se os meninos tinham treinado. E se sim, então eu devia muito para a pessoa que pensou nisso. Enquanto as câmeras eram desligadas, fui até Gavril.
— Obrigada. Você estava excelente esta noite.
— Sempre estive ao seu lado, e sempre estarei — ele piscou para mim e prosseguiu.
Observei enquanto o pessoal saía, e fiquei ali por um momento me sentindo orgulhosa. Eu tinha conseguido, quase inteiramente por conta própria. A Elite foi ótima, mais amável do que eu poderia ter imaginado ou esperado. Mamãe e papai ficariam tão contentes.
— Muito bem — Kile envolveu um braço à minha volta. — O primeiro Jornal Oficial que você fez sozinha estará nos livros!
— Pensei seriamente que esta noite seria um desastre, mas olhe! — exclamei, me afastando e estendendo os braços. — Ainda estou inteira.
Hale se aproximou e riu.
— Você achava que as pessoas arrombariam as portas e a picariam em pedacinhos?
— Nunca se sabe!
Fox riu, e Ean ficou para trás, ainda sorrindo. Eu estava tão grata. Se soubesse como agradecer, eu teria contado descaradamente sobre o quão grandes eles tinham sido esta noite.
— Jantar? — perguntou Fox, e os meninos assentiram.
Ouvi Henri dizer uma palavra outra vez excitado, o que suponho que queria dizer que ele estava muito satisfeito por finalmente ir comer.

Nenhum comentário:

Postar um comentário