quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Questionário (XXVI)



Regressamos hoje à publicação dos nossos questionários, que tem ficado um pouco esquecida nos últimos tempos (mea culpa), apesar de ainda termos vários para publicar - fica desde já um pedido de desculpas. O questionário de hoje foi respondido pela Sandra, que tem um blog que eu gosto muito, o Vidas Desfolhadas. Muito obrigada!

1 - Como surgiu a ideia de criares um blog sobre livros?
Depois de ter criado um blog pessoal, achei que seria uma boa ideia criar um espaço próprio na blogosfera para que pudesse registar as minhas leituras e o que achei delas. Uma espécie de diário das minhas preferências e impressões sobre um dos objectos que considero essencial para a minha sanidade mental e para a minha felicidade. Um registo simplificado do que vivi ou senti aquando da leitura de um determinado livro.

2 - És uma leitora rápida? Quantos livros lês, em média, por mês?
Normalmente sou uma leitora um pouquinho mais rápida do que agora. Gosto de ler cuidadosamente cada detalhe e não deixar passar muito tempo entre a leitura das várias páginas com medo que me esqueça de algum detalhe que me obrigue a ir atrás e ler o que falha na memória.

3 - Qual é o teu livro preferido de sempre e porquê?
Não consigo referir apenas um. Tenho livroS preferidoS que a dada altura da minha vida significaram muito e me marcaram bastante, constituindo um degrau na escada evolutiva do que sou e serei.
Da minha infância lembro-me do "As aventuras maravilhosas de João sem medo" do José Gomes Ferreira. Da minha adolescência refiro alguns: "Câmara escura" de Rachel Seiffert; "O retrato de Dorian Gray" de Oscar Wilde; "A lua de Joana" de Maria Teresa Maia Gonzalez; "A honra perdida de Katherine Blum"; o excepcional "Desconhecido nesta morada" de Kathrine Kressmann Taylor e alguns da série Harry Potter. Da minha fase mais adulta, é melhor não começar porque nunca mais sairia daqui.

4 - O que te leva a identificares-te com uma personagem/história?
Quando em dado momento da leitura ou quando o narrador ou a própria personagem expressa os seus sentimentos, razões ou acções e na minha cabeça surge uma voz que me diz:"Era exactamente isto que eu faria/sentiria".

5 - Género literário preferido e que livro recomendarias dentro do mesmo?
Os meus gostos são muito diversificados. Mas adoro thrillers e romances. Estes últimos tanto faz serem históricos como simplesmente dramáticos.
Quanto à recomendação, aconselharia a todos lerem um livro que já referi: "Desconhecido nesta morada" de Kathrine Kressmann Taylor. Um livrinho muito pequenino mas que foi, até agora,o livro que mais me surpreendeu pela positiva.

6 - O que achas das adaptações cinematográficas de livros?
Quase sempre (atenção que eu disse quase) os filmes deixam sempre muito a desejar. Prefiro sempre ler o livro antes e depois ver o filme, porque já sei que me dará muito mais prazer ler o livro para saber todos os detalhes e não perder nenhum pormenor.

7 - Qual é a tua opinião sobre os e-books?
Prefiro muito mais o livro em formato papel. Penso que os e-books têm a sua utilidade mas, na minha opinião, perde-se alguma magia que um livro nos proporciona.

8 - Tens alguma ideia sobre o que deveria ser feito para aumentar os índices de leitura em Portugal?
Na minha opinião a leitura é um prazer que não se força. Quando era aluna, detestava quando tinha alguma leitura obrigatória. A única excepção foi o livro "Os Maias".
Temos de saber quais são os interesses reais de uma pessoa e sugerir-lhe um livro dentro desse aspecto. Depois é só deixar a curiosidade natural do ser humano actuar.
Mas que os livros também poderiam baixar de preço, isso também ajudaria e muito! É absurdo pagar mais de 15€ por um livro.

9 - A leitura é uma paixão que nasce connosco ou está mais dependente de factores externos
(muitos livros em casa desde a infância, etc.)?
Sem dúvida que está dependente de factores externos.
Somos seres influenciáveis, quer queiramos ou não. Quando estamos a crescer somos como uma esponja que absorve tudo o que vemos ou ouvimos. Nesta construção contínua do ser humano que somos haverá sempre alguém ou algo que nos desperta para o mundo mágico que os livros nos oferecem, para a oportunidade de vivermos vidas alheias com que anseamos ou mesmo para uma fuga da vida real e quotidiana.

Um comentário:

  1. Boa tarde,
    De acordo com os termos de utilização do blogue "Estante de Livros", todos os textos que sejam lá originalmente publicados e posteriormente copiados para outros sites na Internet deverão ser devidamente creditados.

    Agradeço que adicione o link original do texto ou que o retire deste blogue.

    ResponderExcluir