sexta-feira, 6 de novembro de 2009

A Corte dos Traidores

Autor: Robin Hobb
Título Original: Royal Assassin (2.ª metade)
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 368
ISBN: 9789896371555
Tradutor: Jorge Candeias

Sinopse
Os Seis Ducados estão mais vulneráveis do que nunca. Enquanto o príncipe herdeiro combate os Navios Vermelhos com a sua frota e a força do seu Talento, o rei Sagaz enfraquece a cada dia com uma misteriosa doença e bandos de Forjados dirigem-se para Torre do Cervo matando todos pelo caminho.
Mais uma vez, Fitz é chamado para servir como assassino real. Mas o jovem esconde outro segredo: ninguém pode saber que formou um vínculo com um jovem lobo através da magia proibida da Manha e, se for descoberto, arrisca-se a uma sentença de morte.
Quando o príncipe herdeiro embarca numa perigosa missão para pôr fim à ameaça dos Navios Vermelhos, a corte é entregue nas mãos do príncipe Majestoso que tem os seus próprios planos maquiavélicos para o reino. Cabe ao jovem bastardo proteger o verdadeiro rei numa corte prestes a revelar a face dos traidores num clímax memorável.

Opinião
"A Corte dos Traidores" é o 3.º volume da Saga do Assassino e corresponde à segunda metade de Royal Assassin, o 2.º volume da trilogia original. O livro anterior tinha deixado muitas coisas pendentes, por isso foi com elevada expectativa que parti para esta leitura (podem ver as minhas opiniões sobre os primeiros dois volumes desta Saga aqui e aqui).

Tal como o título indica, este livro foca-se essencialmente em intrigas decorridas na corte do Rei Sagaz, após a partida do príncipe e Rei Expectante Veracidade numa demanda pela ajuda dos Antigos, de modo a colocar um ponto final nas ameaças constantes dos Navios Vermelhos. Com a saúde do Rei cada vez mais débil e aproveitando o facto de o irmão mais velho se encontrar longe da corte, o príncipe Majestoso tudo tenta para conseguir o poder para si próprio. No entanto, o jovem Fitz, bastardo do falecido Príncipe Cavalaria, está a par das intenções de Majestoso e, com a ajuda de Breu, da rainha Kettricken, de Castro e do Bobo, irão tentar salvar a vida do seu Rei e guardar o trono até que o príncipe Veracidade regresse.

Mais uma vez, foi um prazer continuar a acompanhar esta história, não só pelo interesse cada vez maior que o enredo proporciona, mas também pela ligação que criamos com as personagens e os seus dilemas e pela escrita maravilhosa desta autora. O facto de termos uma história contada na primeira pessoa pode ou não funcionar bem, dependendo da habilidade do autor, mas aqui funciona na perfeição. Não só é extremamente bem conseguida a forma como a autora "veste a pele" da sua personagem, como contribui bastante para aumentar o interesse do leitor pelas personagens secundárias, pois como apenas as vemos pelos olhos de Fitz, fica sempre aquela sensação de mistério e curiosidade no ar.

As intenções dos Ilhéus, que continuam a atacar os povoados costeiros, "forjando" os seus habitantes, permanecem uma incógnita. A dada altura, refere-se a probabilidade de a maldade não ter propriamente um motivo, mas existir apenas por existir. Não estou convencida dessa possibilidade e, por isso, aguardo com expectativa o desenlace desta situação.

O livro tem um final poderoso e emocionante. Daqueles que nos fazem acreditar em determinada coisa para na página seguinte percebermos que, afinal, não era assim. E o que realmente aconteceu abre excelentes perspectivas para o próximo volume, "A Vingança do Assassino", que deverá sair em Janeiro de 2010. Mal posso esperar!

9/10 - Excelente

Um comentário:

  1. Boa tarde,
    De acordo com os termos de utilização do blogue "Estante de Livros", todos os textos que sejam lá originalmente publicados e posteriormente copiados para outros sites na Internet deverão ser devidamente creditados.

    Agradeço que adicione o link original do texto ou que o retire deste blogue.

    ResponderExcluir