domingo, 26 de abril de 2009

O Planeta dos Macacos

Autor: Pierre Boulle
Editor: Livros Unibolso da Editora Ulisseia
Páginas:182
Tradutor: Calado Trindade

Quando, há algum tempo atrás, vi o primeiro filme da série “O Planeta dos Macacos”, fiquei curioso em saber a origem da história que tanto me tinha fascinado. Depois duma pesquisa, consegui saber que o autor foi o francês Pierre Boulle, escritor do sucesso que também deu origem a um outro filme, “A ponte do Rio Kwai”.

Depois duma intensa procura por quase todo o lado, lá encontrei, através dum alfarrabista, uma edição de bolso do livro, já muito velha, lançando-me, com curiosidade, na sua leitura como se fosse uma viagem.

E é mesmo numa viagem onde somos levados, mas ao ano 2500, onde os macacos tomam conta do universo, subjugando, e escravizando, os homens, tratando-os como animais selvagens. Até ao dia onde aparece Ulysses, um viajante do Planeta Terra que saiu numa missão para descobrir outros planetas, que mostra ser um homem completamente diferente dos outros, ele fala, pensa, escreve, o que escandaliza toda a sociedade símia.

Durante o livro, vamos assistindo a alguns episódios onde podemos questionar a própria condição humana, mas desta vez subvertida já que é aos macacos que cabe o papel de “líderes” da sociedade. Depois de ter sido ajudado por um casal de macacos, Ulysses faz uma própria reflexão sobre a sua vida e sobre a raça humana, levando-o a questionar sobre tudo.

O livro é uma alegoria, principalmente política; coisas como o racismo, as experiências científicas, as diferenças das classes sociais e a crítica social são temas que vimos serem retratados.

Escrito de forma fantástica, é um livro intemporal; não compreendo o porquê de não haver uma edição mais recente. Aconselhável a quem aprecia livros de ficção cientifica, com uma componente política.

9/10 - Excelente

5 comentários: